Nesta segunda-feira (19), os governadores Reinaldo Azambuja, que deixa o cargo em 31 de dezembro, e Eduardo Riedel, que assume em 1º de janeiro, se reuniram com os chefes dos Poderes Constituídos do Estado para entregar o relatório final do trabalho da Comissão de Transição Governamental de Mato Grosso do Sul.

Com 172 páginas, o documento, elaborado por integrantes da atual e da nova gestão, traz um raio-x do Governo do Estado. Ao entregar o relatório, Reinaldo Azambuja agradeceu os Poderes pelo trabalho conjunto e pelas pautas tratadas ao longo dos anos, em especial ao projeto do teto de gastos, que limita as despesas dos órgãos públicos ao orçamento do ano anterior.

O governador ainda destacou o trabalho da Assembleia, que votou projetos fundamentais para a economia estadual, como as reformas administrativa e previdenciária, e falou da acertada decisão da criação da Conleg (Consultoria Legislativa) no Governo do Estado, que estreitou as relações do Executivo com o Legislativo, o Judiciário e os órgãos de controle.

Receberam o relatório da Transição os presidentes do Tribunal de Contas (TCE-MS), conselheiro Jerson Domingos, do Tribunal de Justiça (TJMS), desembargador Carlos Eduardo Contar, e da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa; o procurador-geral de Justiça do Ministério Público (MPMS), Alexandre Magno; e a defensora pública-geral Patrícia Cozzolino.

Transição harmônica

Ao entregar o documento final da Comissão de Transição, Reinaldo Azambuja afirmou que a equipe fez um brilhante trabalho. “O relatório mostra a situação que se encontram as finanças de Mato Grosso do Sul, que está com as contas em dia. A transição foi feita com harmonia e tranquilidade”, disse.

O governador eleito ressaltou o êxito do grupo. “Foi um mês de trabalho, com equipe enxuta, mas extremamente dirigente. O relatório está bem constituído e esclarecedor para cada área de política pública do Estado. Tem todos os relatos do que está acontecendo em Mato Grosso do Sul ao final do mandato do governador Reinaldo, que deixa organizado o Mato Grosso do Sul, com recurso em caixa para que a gente consiga avançar nos investimentos já previstos para o Estado. Não há descontinuidade de políticas públicas, o que é importante para a sociedade sul-mato-grossense”, pontuou Eduardo Riedel.

Ele ainda agradeceu a Assembleia Legislativa que recebeu as leis propostas pela Comissão de Transição para formatação do novo governo. “Tudo aconteceu dentro de um ambiente de harmonia para entregar um Mato Grosso do Sul cada vez melhor para os cidadãos”, finalizou Eduardo Riedel.

Além dos chefes dos Poderes, estiveram presentes na reunião alguns integrantes da Comissão de Transição, como o vice-governador eleito José Carlos Barbosa, o Barbosinha, que coordenou o grupo, a procuradora-geral do Estado, Ana Carolina Ali, o superintendente do Tesouro da Sefaz (Secretaria de Fazenda), Fábio Alexandre de Castro, a economista Sandra Amarilha e o secretário-adjunto da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Ricardo Senna.

Bruno Chaves, Subcom

Fotos: Chico Ribeiro